domingo, 3 de janeiro de 2010

Teoria do deslocamento da crosta terrestre

Quando esta teoria foi apresentada pela primeira vez pelo prof. Charles Hapgood, a comunidade científica não se manifestou, com uma notável excessão: Albert Einstein. Em sua teoria, o prof. Hapgood propôs que em certos períodos de tempo, toda a crosta terrestre poderia se movimentar, como uma casca solta de laranja. Isto explicaria o desaparecimento de civilizações como a Atlântida e a Lemúria. Segundo Einstein, "…não se pode duvidar que ocorreram deslocamentos significativos da crosta terrestre repentinamente, em curto período de tempo."

O elo final para a teoria de Hapgood veio com o descobrimento, em 1977, de um mamute congelado, perfeitamente preservado, no norte da Sibéria, o qual culminou no descobrimento de milhares de espécies de grandes mamíferos nestas condições tanto no norte da Sibéria como no norte do Canadá.

Por quê elo final? Primeiro porque foram achados, em seu estômago, vegetais de clima quente. Segundo, que estes vegetais não estavam digeridos, o que sugere uma morte súbita. Terceiro, é que para se congelar animais deste porte de uma maneira que, estes se mantivessem preservados de uma maneira tão fabulosa, seria necessário que estes animais tivessem sido expostos a um frio muito intenso, repentinamente

Cálculos realizados ha poucos anos, indicam que a crosta poderia ter alcançado, em seu movimento, uma velocidade aproximada de 70 km/h (setenta quilômetros por hora).

Fonte:

http://www.acasicos.com.br/html/teoria_massas.htm

3 comentários:

  1. se a Teoria do deslocamento da crosta terrestre acontecer podemos afirmar que e o fim ?

    ResponderExcluir
  2. É a mesma teoria da inversão dos polos?

    ResponderExcluir
  3. tenho para mim que a inversao dos polos so seria possivel se toda a terra virasse, e nao a sua superficie.

    ResponderExcluir